10/04/2014

A vida digital dos nossos filhos


Será que crianças e jovens utilizam as tecnologias de maneira saudável? O que  estão fazendo com tanta informação?  Conhecer a vida digital das crianças  passou a ser mais uma tarefa difícil e complicada para grande parte das famílias.
Recentemente uma empresa de segurança da internet divulgou o resultado de uma pesquisa que mostra como é a percepção de pais e filhos sobre o comportamento e uso da internet. O que mais me chamou a atenção é que 75% dos pais entrevistados reconheceram que não têm tempo para acompanhar as atividades online de seus filhos.
 
 
Confira abaixo outros resultados interessantes da pesquisa " Os riscos na vida digital: filhos superconectados x pais ausentes"

Pais
 

-75% dos pais reconheceram que não têm tempo para acompanhar as atividades online de seus filhos
-39% disseram monitorar os filhos com controles, mas os adolescentes, mais experientes em tecnologia, se aproveitam das limitações tecnológicas dos pais e sabem como evitar essa vigilância
-61% dos pais não acreditam que os filhos poderão ter problemas graves pelo uso da Internet
-30% deles disseram que o filho conhece mais de tecnologia que eles e, por isso, que não têm como acompanhá-los quando conectados
-37% temem a tecnologia
-6 em cada 10 pais acreditam saber tudo o que os filhos fazem na Internet
-77% dos pais disseram que a Internet é tão perigosa quanto a vida real
-79% dos pais creem que orientam os filhos sobre como agir em situações de ciberbullying, porém 39% dos jovens afirmaram que não saberiam o que fazer nesses casos
-54% dos pais sabem que os filhos agem para esconder o que fazem na Internet e apenas 12% agem para monitorarem suas ações
Filhos
 -96% dos jovens usam a Internet para se comunicar em redes sociais e envio de mensagens aos amigos
-60% dos filhos admitiram que fazem “coisas às escondidas” na Internet
-A maioria dos filhos permanece de duas a três horas/dia da semana conectados e mais cinco horas nos finais de semana
-15% disseram já terem sido vítimas de algum comportamento maldoso ou cruel pela Internet
-40% conviveram com apelidos maldosos/desagradáveis
-20% tiveram sérios problemas na escola (5% disseram que tiveram medo de ir à escola)
-64% já apagaram o histórico de conversas mais comprometedoras
-55% consideram que os pais não precisam saber de tudo o que eles fazem nas redes sociais
-42% nunca dizem aos pais o que fazem pela Internet
-41% já visitaram sites que os pais não aprovariam
-40% sabem como esconder o que fazem pela Internet
-33% mudariam o comportamento, caso os pais estivessem observando
 
-8 em cada 10 filhos buscaram respostas de provas ou de trabalhos escolares na Internet (64% dos pais sabem disso e, aparentemente, não veem a situação como problema)
 
-¼ dos filhos colou na prova usando o celular e 15% colaram na prova usando alguma técnica que descobriram na Internet
A pesquisa foi realizada na forma online com uma amostragem de 821 entrevistas — 415 crianças, adolescentes e jovens de 10 até 23 anos e 406 pais de 28 até 65 anos, no período de 26 de outubro de 2013 a 17 de novembro de 2013. 
 

 

Um comentário:

  1. Oiii! adorei o Blog!!! e seus filhos são as coisas mais fofas desse mundo....felizes...educados....e além de tudo lindos e comunicativos!!! eu e o Dudú adoramos!!! beijo grande!!! Patricia flexa do edifício escocia!!!

    ResponderExcluir

Postagem em destaque

Temas educativos para festas infantis

As  festas infantis estão cada vez mais personalizadas. A moda agora é preparar algo diferente e criativo. Os temas de person...